Juiz manda baterista do AC/DC parar de usar drogas após discussão

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 12:07 BRST
 

WELLINGTON (Reuters) - Um juiz da Nova Zelândia ordenou nesta quinta-feira ao baterista do AC/DC, Phil Rudd, que pare de usar drogas depois de um confronto que o levou a ser algemado e detido pela polícia dois dias depois de se declarar inocente das acusações de ameaça de assassinato e posse de drogas.

Rudd, de 60 anos, discutiu com um homem do lado de fora de uma cafeteria e foi derrubado, relatou a mídia. O site Stuff e outros veículos de mídia exibiram fotos de Rudd sendo algemado e chegando a uma delegacia de polícia.

Rudd, que estava solto sob fiança, teve contato com uma testemunha da Promotoria, o que é uma violação de sua condicional, disse a mídia.

Um juiz do distrito de Tauranga permitiu que Rudd continue em liberdade condicional, mas alterou os termos para incluir uma proibição contra drogas ilícitas, o que um promotor federal disse poder conter o comportamento errático do músico.

Na terça-feira, Rudd saiu sob fiança até fevereiro do ano que vem depois que seu advogado o declarou inocente das acusações de ameaça de assassinato e posse de drogas.

No mês passado, o baterista foi acusado de tentar encomendar um assassinato, acusação retirada por falta de provas.

Rudd foi expulso do grupo australiano AC/DC em 1983 e voltou à banda em 1994, mas continuou morando na Nova Zelândia, onde tem um restaurante.

O AC/DC lançou seu primeiro disco em mais de cinco anos, “Rock Or Bust”, nesta semana.

(Por Gyles Beckford)

 
Show do AC/DC em Las Vegas no ano 2000. REUTERS/Ethan Miller