Em meio a crise, escultura do euro em Frankfurt será reformada a custo elevado

segunda-feira, 6 de julho de 2015 16:26 BRT
 

FRANKFURT (Reuters) - O euro pode estar passando por uma crise existencial, mas mesmo assim a gigantesca escultura de 14 metros do símbolo da moeda, que se ergue imponente no centro de Frankfurt, onde está o Banco Central Europeu, irá passar por sua maior reforma em 13 anos a partir desta segunda-feira.

Considerada um estorvo por muitos moradores da cidade alemã, a estrutura gasta em azul e dourado localizada em frente à ex-sede do BCE foi desmontada para ser reformada devido ao desgaste, aí incluídas agressões de manifestantes.

Propriedade da organização sem fins lucrativos Frankfurter Kultur Komitee, o símbolo mais conhecido da moeda comum receberá luzes de LED modernas e novos painéis ao custo de até 60.000 euros, um valor bancado por doações, inclusive do BCE, do Banco Central da Alemanha (Bundesbank) e de indivíduos.

A reforma, que deve terminar na sexta-feira, começa no momento em que a moeda enfrenta seu maior teste, já que os formuladores de políticas da zona do euro estão discutindo abertamente a saída da Grécia do bloco, depois que o país rejeitou os termos de um resgate financeiro num referendo realizado no domingo.

Concebida pelo artista Ottmar Horl, a escultura do euro é um dos pontos mais fotografados de Frankfurt e põe fim a anos de discussões sobre sua reforma.

"A escultura é o símbolo mais fotografado e divulgado da cidade, a obra de arte mais divulgada, e ainda é um ímã para turistas", disse Horl anteriormente.

"Apesar de todo o debate, ainda considero que a união monetária e os esforços para manter uma Europa combinada e solidamente unida serão uma das grandes conquistas do século 21."

(Reportagem de Balazs Koranyi)

 
Trabalhadores desmontam a escultura que representa o euro para uma manutenção, em frente à ex-sede do Banco Central Europeu (BCE), em Frankfurt, na Alemanha, nesta segunda-feira. 06/07/2015 REUTERS/Ralph Orlowski