Israelense é preso por invadir computador de Madonna

quinta-feira, 9 de julho de 2015 12:15 BRT
 

TEL AVIV (Reuters) - Um ex-participante da versão israelense do programa de calouros “American Idol” foi preso por 14 meses nesta quinta-feira por invadir computadores de cantores, entre eles Madonna, que se queixou do vazamento na Internet de faixas ainda não finalizadas de seu álbum mais recente.

Adi Lederman fez um acordo e confessou os delitos de invasão de computador e violação de privacidade e de direitos autorais, declarou o Tribunal da Magistratura de Tel Aviv, citando Madonna como uma das vítimas, mas sem especificar que ele foi responsável pelo vazamento das canções. Lederman ainda recebeu uma multa equivalente a 4 mil dólares.

“A facilidade com que crimes como este podem ser cometidos por aqueles que têm habilidade na área, como o acusado, exige uma reação punitiva adequada que passe uma mensagem inflexível e desenstimulante”, disse a corte em um comunicado.

Lederman, de 39 anos, foi preso em janeiro depois de uma investigação que teve ajuda da Polícia Federal dos EUA (FBI, na sigla em inglês). A polícia afirmou que ele é suspeito de vender canções que roubou através das invasões virtuais.

Em dezembro, faixas incompletas do disco “Rebel Heart”, de Madonna, foram vazadas antes do lançamento oficial. Madonna disse que o crime foi “uma invasão da minha vida – criativa, profissional e pessoalmente (e que) se tornou uma experiência profundamente devastadora e dolorosa”.

Lederman participou do programa de calouros israelense “A Star Is Born”, mas foi eliminado. A declaração do tribunal, emitida nesta quinta-feira, afirmou que ele tem problemas de saúde que mitigaram sua pena.

(Por Dan Williams)

 
Madonna em cerimônia do Grammy, em Los Angeles. 08/02/2015  REUTERS/Mario Anzuoni