Ex-baterista do AC/DC Phil Rudd é acusado de violar regras de prisão domiciliar

segunda-feira, 20 de julho de 2015 09:04 BRT
 

WELLINGTON (Reuters) - O australiano Phil Rudd, ex-baterista da banda de rock AC/DC, foi solto sob pagamento de fiança após ser acusado em uma corte da Nova Zelândia, nesta segunda-feira, de consumir de álcool, violando as condições de sua prisão domiciliar, de acordo com autoridades.

Rudd, de 61 anos, foi preso no sábado e mantido sob custódia até comparecer ao tribunal. Ele não recorreu contra a acusação, e foi obrigado a se apresentar novamente em duas semanas e passar por testes de drogas e álcool quando solicitado.

As acusações aconteceram 10 dias após Rudd ser sentenciado a 8 meses de prisão domiciliar por ameaças de morte e posse de drogas, devido a incidentes ocorridos em novembro.

Rudd, que está apelando contra a condenação e a sentença, não pode deixar sua casa em Taurang, a cerca de 200 quilômetros de Auckland, sem permissão.

Ele também é monitorado eletronicamente e foi alertado que qualquer violação das condições de sua prisão domiciliar podem resultar na ida dele para um presídio.

Rudd mora na Nova Zelândia desde que foi demitido da banda de heavy metal em 1983. Ele voltou ao AC/DC em 1994, mas continuou no país, onde é dono de um restaurante. O conjunto substituiu Rudd para sua atual turnê mundial, que inclui dois shows na Nova Zelândia no final do ano.

(Reportagem de Gyles Beckford)