ESTREIA–Destinado ao público infantil, “Carrossel – O Filme” cumpre aquilo que promete

quarta-feira, 22 de julho de 2015 16:21 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A adaptação cinematográfica da novela do SBT (esta, por sua vez, uma recriação da original mexicana) “Carrossel” é o tipo de filme destinado a um público bem específico: crianças de até uns 10-11 anos de idade que gostam da novela.

Qualquer pessoa fora dessa faixa etária corre o risco de se entediar e/ou se irritar. Dito isso, agora, o que interessa: ao seu modo, o filme é ótimo. Exatamente porque não teme em se assumir como uma produção totalmente dedicada ao seu alvo.

Dirigido por Alexandre Boury (“Didi quer ser criança”) e Maurício Eça (“Apneia”), “Carrossel – O Filme” não é aquele tipo de longa infantil que se esforça em colocar situações ou piadas que irão agradar aos pais. O filme é sobre crianças e para crianças – se, no meio do caminho, os adultos sentirem um tom de nostalgia ou algo parecido, é lucro.

A trama sai da Escola Mundial e vai para o acampamento de férias Panapaná, de propriedade do avô (Orival Pessini) de uma das meninas, Alicia (Fernanda Concon). Durante boa parte do tempo, as crianças participam de gincanas – mas como isso não basta como trama para um filme, há um vilão e seu comparsa que desestabilizam a harmonia do local, interpretados por Paulo Miklos e Oscar Filho. Gonzales (Miklos) quer comprar um acampamento para transformá-lo numa fábrica que irá poluir toda a região.

Entre uma brincadeira e outra, as crianças percebem o perigo que o lugar está correndo e resolvem ajudar. A partir daí, “Carrossel – O Filme” segue mais ou menos o que se espera – ecoando artimanhas de “Esqueceram de Mim” – algo que, aliás, aqui não se faz a menor questão de esconder. E por que deveria?

Fora isso, o longa não avança nas histórias individuais de suas personagens, embora coloque algumas complicações em seus caminhos. Cirilo (Jean Paulo Campos) continua apaixonado por Maria Joaquina (Larissa Manoela, de “O Palhaço”), que o esnoba, preferindo passar seu tempo tirando selfies. Valeria (Maisa Silva) e Davi (Guilherme Seta) vão completar aniversário de namoro – mas ela desconfia que ele esteja se apaixonando por Carmen (Stefany Vaz da Costa).

“Carrossel – O Filme” passa longe daquela ideia nostálgica de uma infância idílica. Aqui, por mais que os personagens estejam no campo, é um filme sobre crianças urbanas e seus hábitos. Para quem busca no filme alguma ponte com o passado, esta será encontrada na presença de Pessini – que até hoje é lembrado por interpretar (entre outros) Fofão, que fez sucesso na TV nos anos de 1980.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

 
Cena de "Carrossel – O Filme". 22/07/2015 REUTERS/Divulgação/Tom Hamburger/Caio Romano Guerra