Juíza rejeita processo sobre divulgação de imagens do local da morte de Kurt Cobain

sexta-feira, 31 de julho de 2015 21:50 BRT
 

Por Eric M. Johnson

SEATTLE (Reuters) - Uma juíza do Estado norte-americano de Washington rejeitou um processo que buscava obter fotos do local da morte do ex-roqueiro Kurt Cobain, do Nirvana, porque o jornalista que solicitou as imagens violou procedimentos legais, argumentou o procurador de Seattle nesta sexta-feira.

O jornalista independente Richard Lee processou a cidade e o departamento de polícia para tentar forçar a divulgação das fotos tiradas por autoridades policiais após Cobain ter se matado em 1994, disse um porta-voz do procurador Pete Holmes.

As fotos mostram o corpo inteiro do músico e os danos em sua cabeça por causa do tiro, de acordo com uma declaração apresentada na semana passada pela esposa de Cobain, a roqueira Courtney Love, que queria impedir a divulgação das imagens.

A juíza Theresa Doyle, do Tribunal Superior do Estado, decidiu em favor da cidade após uma audiência de 40 minutos, determinando que Lee violou procedimentos legais ao não apresentar propriamente à cidade uma cópia do processo, disse o porta-voz John Schochet.

Lee também entrou com o processo antes que a cidade respondesse ao seu pedido para ter acesso às imagens, disse Schochet.

Cobain, que ficou famoso em 1991 à frente do Nirvana e popularizou o movimento de rock grunge, tinha 27 anos quando se matou com uma escopeta em sua casa em Seattle em 5 abril de 1994. Seu corpo foi encontrado apenas três dias depois.

 
Courtney Love concede entrevista na pré-estreia de um filme sobre Kurt Cobain, em Hollywood, nos Estados Unidos, em abril. 21/04/2015 REUTERS/Mario Anzuoni