ESTREIA-"Real Beleza", de Jorge Furtado, discute padrões do belo no mundo moderno

quarta-feira, 5 de agosto de 2015 16:41 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - João (Vladimir Brichta) é um fotógrafo outrora renomado que vive uma crise profissional. Na primeira cena de "Real Beleza", assiste-se aos preparativos das fotos de uma bela modelo diante de um quadro supostamente caríssimo, dados os cuidados com a pintura.

O rapaz e a moça se desentendem, ele lhe dá uma bofetada e ela atira um pote de geleia, mas acerta a obra de arte. Assim é a primeira cena desse drama escrito e dirigido por Jorge Furtado ("O Mercado de Notícias", "Meu Tio Matou um Cara").

É um ponto de partida ousado e incômodo – mais pela bofetada, que, aparentemente, não resulta num processo por violência contra a mulher, e menos pelo quadro danificado (certamente com seguro e passível de restauração). A questão que Furtado parece querer levantar logo de princípio é: qual é a real beleza – a modelo ou a pintura? Mais a fundo: o que é o belo?

Com a carreira desgastada pelo incidente, João sai em viagem pelo interior do Rio Grande do Sul, buscando uma jovem desconhecida para lançar como modelo, e, assim, também se recolocar no mercado.

O fotógrafo entrevista centena de meninas, mas só em Maria (Vitória Strada) encontra o algo misterioso que procura. Ele não sabe descrever, dar nome à beleza que caça, apenas sabe identificar o que procura quando encontra.

À menina de 16 anos do interior e sem muitas perspectivas imediatas, a possibilidade de se mudar para São Paulo e depois Nova York (conforme lhe é prometido) parece irrecusável. Mas, antes disso, o protagonista deve dobrar a mãe e o pai da menina (Adriana Esteves e Francisco Cuoco).

Depois de estabelecer esse conflito tênue, Furtado parte para a elaboração de uma discussão sobre o que é o belo no mundo contemporâneo. Existem padrões? Se sim, quais são eles? Vale lembrar que o ideal de beleza pode ser uma construção social e histórica.

Enquanto existam constantes que possam permanecer, a idealização deverá responder aos anseios de uma época. Quais são os anseios da nossa? O filme pergunta, tenta responder, mas se perde, na medida em que seus personagens se tornam sombras daquilo que prometiam ser.

O filme também. Furtado flerta com o noir, quando João se envolve com a mãe da modelo, Anita, enquanto a garota e o pai estão viajando. Quando eles voltam, descobre-se que além de um erudito, o homem está perdendo a visão. Apaixonado pelas artes, ele é capaz de descrever uma fotografia de Cartier Bresson em detalhes só de memória.   Continuação...

 
Atores Vladimir Brichta e Adriana Esteves em cena do filme "Real Beleza". REUTERS/Divulgação/Globo Filmes/Fabio Rebelo