Ex-chefe da polícia secreta de Pinochet morre no Chile aos 86 anos

sábado, 8 de agosto de 2015 10:04 BRT
 

SANTIAGO (Reuters) - O ex-chefe da temida polícia secreta da ditadura de Augusto Pinochet, no Chile, morreu na noite de sexta-feira devido a um estado de saúde deteriorado, em meio a um conjunto de condenações em casos de violações dos direitos humanos cometidas durante o regime militar.

Contreras, de 86 anos, estava cumprindo uma sentença de mais de 500 anos de prisão, mas nos últimos dias havia entrado em um hospital militar por um quadro de hipertensão, sequelas de trombose, diabetes e os efeitos de um câncer de colo.

"A morte ocorreu esta noite, por volta das 22h30 no Hospital Militar de Santiago, onde ele estava internado", disse um comunicado da polícia carcerária.

Uma vez conhecida a morte do general aposentado, dezenas de pessoas se reuniram em frente ao hospital para gritar: "assassino, assassino, assassino!".

O general aposentado era o diretor da Direção Nacional de Inteligência (DINA), que entre 1974 e 1978 decapitou os partidos que apoiaram o deposto presidente Salvador Allende.

Cerca de 400 crimes foram até o momento atribuídos à DINA, incluindo sequestro e assassinato, alguns dos quais em solo estrangeiro.

(Por Antonio de la Jara)