Acolhido em Veneza, "Francofonia" mostra paixão de diretor Sokurov por museus

sexta-feira, 11 de setembro de 2015 16:36 BRT
 

Por Michael Roddy

VENEZA, Itália (Reuters) - O diretor russo Alexander Sokurov, que conquistou o prêmio principal do Festival Internacional de Cinema de Veneza em 2011 por seu "Fausto", está concorrendo novamente com "Francofonia", uma turnê pelo museu do Louvre guiada em parte por Napoleão e Marianne, o símbolo da República francesa.

O filme, coproduzido com o museu parisiense, é a segunda incursão de Sokurov em um visual cinematográfico inventivo nos meandros de um grande museu.

Seu "Arca Russa", de 2002, cobre a história do Museu Hermitage de São Petersburgo desde os tempos czaristas até o presente, com o requinte técnico de que o filme inteiro foi rodado em uma única tomada.

A produção mais recente de Sokurov recebeu críticas favoráveis no geral, e até esta sexta-feira era o favorito a levar o Leão de Ouro no sábado em uma pesquisa com críticos de cinema e jornais italianos publicada em uma newsletter diária do festival.

Sokurov disse à Reuters em uma entrevista que se sente atraído a criar filmes sobre grandes museus porque eles são repositórios da cultura mundial, e pelo Louvre em particular porque "é um teatro em si mesmo, é como Shakespeare... é um cenário maravilhoso para o filme".

O cineasta conta a história do museu, que foi aberto ao público em 1793 durante a Revolução Francesa, em parte pelos olhos de Napoleão, interpretado pelo ator Vincent Nemeth.

Napoleão é citado no filme. Ele teria dito que uma das razões de suas conquistas era ter acesso a obras de arte.

(Reportagem adicional de Mike Davidson)

 
Diretor russo Alexander Sokurov durante sessão de fotos do filme "Francofonia" no festival de Veneza, na Itália. 04/09/2015 REUTERS/Stefano Rellandini