Anistia Internacional declara artista cubano prisioneiro de consciência

terça-feira, 29 de setembro de 2015 20:56 BRT
 

Por Daniel Trotta

HAVANA (Reuters) - A Anistia Internacional declarou nesta terça-feira um artista de graffiti cubano como único prisioneiro de consciência do país, exigindo a libertação do homem detido por "desrespeito aos líderes da revolução" devido a uma sátira de Fidel e Raúl Castro.

Danilo Maldonado, de 32 anos e conhecido como "El Sexto", está detido desde dezembro por pintar as palavras "Fidel" e "Raúl" nos traseiros de dois porcos, em aparente referência ao ex-líder Fidel Castro e seu irmão e atual presidente, Raúl Castro, afirmou a Anistia em um comunicado.

"Estamos declarando-o um prisioneiro de consciência. No momento, ele é o único prisioneiro de consciência em Cuba. No entanto, estamos avaliando uma série de outros casos", disse Josefina Salomon, porta-voz do grupo de direitos humanos.

O governo cubano não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. Oficialmente, o governo alega que não tem nenhum prisioneiro político, e caracteriza a comunidade dissidente de Cuba como mercenários pagos pelos interesses dos Estados Unidos para desestabilizar o governo.

Após acordo alcançado com os Estados Unidos em 17 de dezembro, Cuba libertou 53 prisioneiros que o governo dos EUA considerava políticos.

Mas Maldonado foi detido oito dias depois, quando a polícia descobriu os animais no porta-malas de seu táxi, antes que ele os exibisse em uma mostra de arte no dia de Natal, disse a Anistia. Ele está em greve de fome desde 8 de setembro, segundo a Anistia.

"Ele está detido por um longo tempo em uma prisão de alta segurança, sem acusações formais e sem julgamento", disse Elizardo Sánchez, líder da dissidente Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional.

A comissão estima que existam cerca de 60 presos políticos em Cuba, incluindo cerca de duas dezenas por protesto político pacífico.