Índia censura cenas de beijo de "007 Contra Spectre"

quinta-feira, 19 de novembro de 2015 12:59 BRST
 

Por Shilpa Jamkhandikar

MUMBAI (Reuters) - Se dependesse da vontade dos censores da Índia, James Bond poderia usar e abusar de sua licença para matar, mas teria que diminuir os beijos – pela metade, para ser exato.

O filme mais recente da famosa franquia, "007 Contra Spectre", será lançado sexta-feira na Índia com grandes cortes, uma vez que os censores consideraram os encontros românticos entre Daniel Craig e as co-protagonistas Monica Belluci e Léa Seydoux impróprios para os espectadores.

"O comitê que tinha que aprovar o filme achou algumas das cenas de beijo muito longas", disse uma fonte a par da ação dos censores, que pediram ao estúdio Sony Pictures para reduzi-las em 50 por cento.

"O estúdio tinha a escolha de aceitar os cortes ou pedir um certificado A, que reduz significativamente o alcance e a exibição", acrescentou.

O Conselho de Censores é controlado pelo governo da Índia e vem se mostrando avesso a filmes com cenas de sexo.

Atualmente o organismo é presidido por Pahlaj Nihalani, produtor de Bollywood que fez um vídeo para a campanha do primeiro-ministro Narendra Modi, no ano passado, e outra peça promocional para o premiê esta semana.

Seu veredicto foi rejeitado por críticos nas redes sociais, que o acusam de atender a pauta conservadora do governo, sufocando a liberdade de expressão. Nihalani não foi encontrado para comentar.

Pela lei indiana, filmes com certificado A, ou para adultos, não podem ser exibidos na televisão. A Índia ainda representa somente uma fração dos lucros de Hollywood, mas franquias como James Bond e os Vingadores conseguem superar as produções de Bollywood nas bilheterias do país.

 
Daniel Craig durante evento do novo filme da franquia 007, "007 Contra Spectre", na Cidade do México.   03/11/2015   REUTERS/Ginnette Riquelme