Globo de Ouro dá largada à temporada de premiações de Hollywood

domingo, 10 de janeiro de 2016 14:06 BRST
 

BEVERLY HILLS, Califórnia (Reuters) - A temporada de premiações de Hollywood começa neste domingo com o Globo de Ouro, em que os principais nomes do cinema e da televisão dividem o palco com os nervosos recém-chegados à indústria do entretenimento.

Uma vitória de Leonardo DiCaprio com seu papel áspero no drama de época "O Regresso" poderá indicar o favoritismo do ator ao Oscar, perseguido pelo ator há muito tempo. A noite também poderá dar destaque a talentos emergentes como as atrizes Brie Larson e Alicia Vikander (que tem duas indicações), testando o desembaraço de ambas no tapete vermelho.

Mas muitos vão assistir à premiação por conta do anfitrião da noite, o irreverente comediante britânico Rick Gervais, que volta a apresentar o Globo de Ouro após três anos longe da cerimônia. Depois da premiação de 2012, na qual ele afirmou que o Globo de Ouro "é como o Oscar, mas sem toda aquela consideração", o humorista disse que não queria ser persuadido a desempenhar esse papel novamente.

A festa, que acontece no Beverly Hilton Hotel, é considerada muitas vezes a versão mais barulhenta da cerimônia do Oscar, que acontece em fevereiro e representa o auge da temporada de premiações de Hollywood, num evento calcado em tradição e elegância.

Organizado e votado pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, o Globo de Ouro serve champagne à vontade e algumas festas pós-cerimônia no mesmo hotel, permitindo às estrelas ter liberdade e relaxar.

O romance lésbico "Carol" é o favorito para levar os prêmios na categoria drama, com cinco indicações, enquanto "A Grande Aposta", uma história sobre fraudes em Wall Street, é o favorito para ganhar prêmios na categoria comédia, com quatro nomeações.

Na televisão, séries em streaming no Netflix como "Narcos" e a comédia transgênera da Amazon "Transparent" dominaram as principais categorias, representando ameaça aos grandes estúdios e emissoras. 

Os indicados mostram a diversidade que há neste ano, sem grandes favoritos, com nomes desde blockbusters de ação como "Mad Max" e "Perdido em Marte" dividindo indicações com filmes independentes mais intimistas como "O Quarto de Jack" e "Spotlight".

(Por Piya Sinha-Roy)