Indicada ao Oscar Charlotte Rampling diz que boicote é racismo contra brancos

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016 18:28 BRST
 

Por Alex Dobuzinskis

LOS ANGELES (Reuters) - A atriz britânica e indicada ao Oscar pela primeira vez Charlotte Rampling disse em entrevista para uma emissora de rádio nesta sexta-feira que o boicote ao Oscar, que protesta contra a ausência de atores e diretores negros entre os indicados, é racismo contra os brancos.

Durante a entrevista, Rampling foi questionada por um jornalista da rádio francesa Europe 1 se ela sentia que o diretor norte-americano Spike Lee, que é negro, estava certo em dizer que irá boicotar a premiação pela falta de negros entre os indicados.

"Não, acho o contrário, que é racismo contra brancos", disse Charlotte, que é indicada pelo papel no drama britânico "45 anos".

Quando lhe pediram que ela elaborasse o comentário, a atriz disse que "ninguém pode realmente saber", mas que "talvez, algumas vezes, atores negros não mereceram um lugar na premiação final".

Os comentários de Rampling ocorrem em meio a protestos pela falta de minorias entre os principais indicados, incluindo a volta da hashtag "OscarsSoWhite (Oscars tão brancos) nas redes sociais, que apareceram pela primeira vez na temporada de premiações de 2015.

Na segunda-feira, a atriz Jada Pinkett Smith disse em sua página no Facebook que iria boicotar o Oscar, e Lee anunciou que não iria participar do evento. No dia seguinte a presidente da Academia reconheceu a falta de diversidade e prometeu "grandes mudanças".

"Sempre irá haver problemas com pessoas dizendo que alguém é muito bonito, outro é muito negro, outro é muito branco, sempre haverá alguém que as pessoas vão falar, 'você é muito...", disse Rampling. "Então vamos classificar tudo para fazer milhares de pequenas minorias em todos os lugares?".

(Reportagem adicional de Amy Tennery, Melissa Fares e Gina Cherelus)

 
Atriz britânica Charlotte Rampling recebe prêmio durante European Film Award, em Berlim. 12/12/2015 REUTERS/Clemens Bilan/Pool