Possível candidato, Sarkozy atrai a atenção política na França com lançamento de livro

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016 18:58 BRST
 

PARIS (Reuters) - Nicolas Sarkozy disse que a “franqueza” e o “espírito livre” o levaram a cometer erros durante seu mandato como presidente da França (2007- 2012), em um livro lançado nesta sexta-feira que é chave na sua tentativa de se eleger novamente em 2017.

Foi um erro dizer a um participante hostil de uma feira rural “saia daqui, seu idiota”, e foi um outro erro ter celebrado a vitória na eleição de 2007 no iate de um magnata francês, afirmou o ex-presidente no livro intitulado “La France pour la Vie” (França para a vida).

O mea-culpa por causa do seu estilo cáustico e os esforços para se contrapor ao apelido de “Presidente Bling-Bling”, que ganhou depois da viagem no barco de luxo, buscam lidar com os principais fatores apontados para a derrota nas eleições de 2012 para o socialista François Hollande.

"Foi inegavelmente uma decisão equivocada. Ainda me pergunto hoje como eu pude cometer tal erro”, afirmou Sarkozy em relação ao passeio no barco de luxo. Sarkozy disse que levou tempo demais para “domar a sua personalidade” e agir como um presidente.

Embora Sarkozy não tenha ainda declarado publicamente que será candidato em 2017, o momento cuidadosamente calculado para o lançamento do livro, que também esboça propostas de políticas, é visto amplamente como o início de uma campanha.

“O meu caráter tem sempre me levado a ser franco”, escreveu Sarkozy no livro. “Mas com a idade e a experiência, eu aprendi a calibrar a minha franqueza”, disse.

As pesquisas de opinião têm mostrado nas últimas duas semanas que a maioria dos franceses não quer Sarkozy de volta, e o seu rival Alain Juppé é mais popular do que ele como candidato conservador a presidente em 2017.

A primeira prova para a campanha é uma primária conservadora em novembro.

(Reportagem de Ingrid Melander e Brian Love)

 
Ex-presidente francês Nicolas Sarkozy. 06/01/2016  REUTERS/Francois Lenoir