Adele diz que não deu permissão para uso de sua música em campanha política

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016 20:36 BRST
 

(Reuters) - A cantora britânica Adele deixou claro nesta segunda-feira que não deu permissão para ninguém usar sua música em campanhas políticas.

O porta-voz de Adele divulgou um comunicado depois que o pré-candidato presidencial republicano dos EUA Donald Trump tocou o hit de Adele de 2011 "Rolling in the Deep" em comícios em Iowa, e Mike Huckabee lançou uma paródia no YouTube na semana passada com seu single de 2015 "Hello".

"Adele não deu permissão para que sua música seja usada para qualquer campanha política", afirmou o porta-voz da cantora em um email. O porta-voz não disse se Adele, cujo novo álbum "25" foi o mais vendido nos Estados Unidos no ano passado, estava cogitando medidas legais para impedir o uso não autorizado de sua música.

Adele não é a única estrela pop ou do rock a ter sua música usada para fins políticos.

A banda R.E.M. criticou Trump em setembro por usar sua canção de sucesso "It's the End of the World", em um comício, e Frankie Sullivan reclamou sobre a utilização do hit de 1982 "Eye of the Tiger", em uma entrevista coletiva em setembro com Kim Davis, uma escrivã de Kentucky brevemente preso por se recusar a emitir licenças de casamento gay.

(Reportagem de Jill Serjeant)

 
Adele canta durante Oscar de 2013.  24/2/2013.     REUTERS/Mario Anzuoni