ESTREIA- De Niro e Efron dividem palco e vexames em comédia adolescente

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016 16:27 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Senhor de uma carreira que o coloca na realeza de Hollywood, o veterano Robert De Niro tem cacife para se aventurar em qualquer produção com a certeza que atrairá audiência. Mesmo que seja uma comédia adolescente ao lado do astro ultra pop Zac Efron, como um avô beberrão e incorreto que só quer saber de transar, como em “Tirando o Atraso”.

Quando estreou nos Estados Unidos, a crítica e os fãs do ator por lá simplesmente rotularam como vexatória sua atuação e sua presença no projeto. A simulação de masturbação, a grosseria e a perversão do personagem criaram uma aversão a sua participação no longa-metragem.

Do ponto de vista artístico, o filme realmente é uma armadilha. Dirigida por Dan Mazer, conhecido pelos roteiros que ajudou a criar para Sacha Baron Cohen, “Brüno” e “Borat”, o que por si só já esclarece de qual será o tom do humor, a comédia é rasa, gratuita e um tanto apelativa –a começar por não deixar Efron vestido por muito tempo.

Aqui, De Niro é Dick (que também significa “pênis” em inglês), o avô do certinho advogado Jason (Efron). Trabalhando no escritório do pai, no qual vive preso, o rapaz vai se casar com a dominadora Meredith (Julianne Hough) em uma semana, mas antes precisa levar Dick para a Flórida de carro.

A viagem, no entanto, se transforma em uma semana repleta de álcool, drogas e festa, para horror de Jason. Mas é no meio disso, e de estados alterados de consciência, que o neto acaba encontrando uma paquera, Shadia (Zoey Deutch), do tempo em que queria ser fotógrafo e se aventurar pelo mundo. O resultado não poderia ser mais transparente e Mazer sequer cria conflitos para enganar o espectador antes do desfecho.

Os comediantes Jason Mantzoukas e Aubrey Plaza fazem participações especiais realmente engraçadas para a proposta desta produção, dando formato ao real humor do que se vê na tela. Mas eles não suficientes para segurar a superficialidade de roteiro (do desconhecido John Phillips), muito fraco para ser levado a sério, mesmo como comédia. Pelo menos, De Niro parece se divertir.

(Por Rodrigo Zavala, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

 
Ator Robert de Niro em Nova York
 5/1/2016  REUTERS/Andrew Kelly