Semana de Moda de Nova York começa com dúvidas sobre futuro do evento

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016 09:44 BRST
 

Por Elizabeth Barber

NOVA YORK (Reuters) - A Semana de Moda de Nova York começa nesta quinta-feira sob temperaturas baixas e uma perspectiva talvez ainda mais arrepiante: definir o propósito de eventos desse tipo no momento em que as grifes começam a adotar novas abordagens para atrair clientes.

Nesta temporada, o evento outrora exclusivo será um meio-termo entre 'só para convidados' e 'liberou geral', com uma mistura de desfiles só para os bem relacionados e oportunidades para o público testemunhar o espetáculo –ainda que só em seus smartphones.

    "A estrutura tradicional da Fashion Week, particularmente em Nova York, vem mudando nas últimas temporadas", disse Alexandra Ilyashov, editora de moda do site de estilo de vida Refinery29.

    A indústria começou a "reavaliar seriamente o futuro do desfile de moda" em um mundo cada vez mais digital, afirmou.

    Mais de 230 mil pessoas comparecem aos eventos fashion de Nova York em fevereiro para ver os modelos do outono próximo, e em setembro para as criações da primavera. Em anos recentes, os desfiles, os gastos estratosféricos das celebridades e as festas suntuosas injetaram 887 milhões de dólares anuais na economia local, de acordo com a organização de fomento New York City Economic Development Corp.

    Mas a Semana de Moda pode estar prestes a deixar de ser uma festa reservada a críticos e clientes para se tornar uma reunião semanal na qual os estilistas terão contato direto com os consumidores.

    "Para quem é a Fashion Week?", indagou um artigo da revista Vogue nesta semana, argumentando que o ritual bienal atualmente tem dois públicos.

    De um lado, há editores de moda e os clientes de olho no que irão ostentar em seus guarda-roupas e na rua. O outro são os consumidores, que querem participar desse mundo sofisticado mas não querem esperar os seis meses do calendário da moda para conseguir os novos modelos que veem nas imagens das passarelas que circulam no Instagram e no Twitter.

    Marc Jacobs, Ralph Lauren e Calvin Klein, verdadeiras instituições da Semana de Moda, encerrarão o evento no dia 18 de fevereiro.