Filme de oito horas foca revolução filipina no Festival de Berlim

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016 21:05 BRST
 

BERLIM (Reuters) - O diretor filipino Lav Diaz diz que os filmes não devem ser julgados por sua duração, e então ele deu ao Festival de Berlim um drama histórico sobre as Filipinas, exibido em mais de oito horas.

"Hele Sa Hiwagang Hapis" foi exibido em competição pelo prêmio Urso de Ouro do festival, que começou às 9h30 e terminou pouco antes das 19h, com uma pausa para o almoço de uma hora.

O filme tem duração semelhante a de alguns outros favoritos do passado, como o do diretor húngaro Bela Tarr, cujo "Satantango" tinha cerca de sete horas.

Mas em uma entrevista coletiva, Diaz rejeitou ser rotulado como um criador de "cinema lento".

"Estamos marcados como 'cinema lento', mas não é cinema lento, é cinema", disse ele.

"Eu não sei por que... toda vez que discutimos sobre o cinema, sempre focamos na duração. É cinema, é como poesia, assim como a música, como a pintura, é livre, quer se trate de uma tela pequena ou uma tela grande, é a mesma coisa... Então isso não deve ser imposto no cinema."

(Por Michael Roddy)