Relatório mostra “crise de inclusão” em Hollywood, dias antes do Oscar

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016 20:39 BRT
 

(Reuters) - Não é somente o Oscar que tem um problema em relação à diversidade. Mulheres, minorias e a comunidade LGBT são bastante sub-representadas em Hollywood como um todo, de acordo com um relatório publicado nesta segunda-feira, dias antes da cerimônia de entrega do Oscar.

O relatório avalia 109 filmes e 305 séries de TV e digitais lançados em 2014 e constata que somente 28 por cento de todos os personagens com falas não são brancos, cerca de 9 por cento abaixo da composição populacional dos Estados Unidos.

"Os resultados revelam que a sequência de #OscarsSoWhite (Oscar tão branco, em tradução livre) é # HollywoodSoWhite (Hollywood tão branco)”, afirma o relatório da Iniciativa em Mídia, Diversidade e Mudança Social da Escola de Comunicação e Jornalismo Annemberg, da Universidade da Califórnia do Sul (USC).

"Isso não é mais um problema de diversidade. Isso é um crise de inclusão”, afirmou a autora do relatório, a professora Stacy L. Smith.

O estudo é publicado uma semana antes da cerimônia de entrega do Oscar em Hollywood em 28 de fevereiro, a principal noite da indústria cinematográfica, que tem sido ofuscada neste ano por protestos pelo fato de só atores brancos terem sido indicados a prêmios.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que entrega o Oscar, respondeu com o anúncio em janeiro de um plano para dobrar o número de mulheres e de integrantes de minorias até 2020.

Nos 414 filmes e séries estudados pelo relatório, um terço dos personagens com falas eram mulheres, e 2 por cento eram lésbias, gays, bissexuais ou transgêneros. Atrás das câmeras, meros 15 por cento de todos os diretores e 29 por cento dos roteiristas eram mulheres.

"Mais da metade do conteúdo que examinamos não tinha personagens asiáticos ou asiáticos-americanos, e em mais de 20 por cento não havia afro-americanos. Está claro que o ecossistema do entretenimento é de exclusão”, disse Smith.

(Reportagem de Jill Serjeant)