Zumba ganha adeptos no Afeganistão, onde Taliban já proibiu a dança

sexta-feira, 18 de março de 2016 11:14 BRT
 

CABUL (Reuters) - Em uma academia isolada da capital afegã, mulheres jovens giram e saltam ao ritmo da música em uma aula de Zumba, uma novidade em um país em que a dança chegou a ser proibida durante o governo do grupo radical islâmico Taliban.

Verdadeira febre, a modalidade de atividade física sul-americana chegou a Cabul dois meses atrás e vêm atraindo praticantes entusiasmados.

"Embora seja um exercício para o corpo, ela também relaxa a mente", disse Muzhgan Ahmadi, de 18 anos. "Então, quando alguém quiser relaxar, ele ou ela deveria fazer (aulas de) Zumba".

Relaxamento é algo importante para os afegãos, que atravessam o 15º ano de guerra com um Taliban renovado que costuma explodir bombas em Cabul diária ou semanalmente.

Quando governou o Afeganistão no final dos anos 1990, o Taliban proibiu música, televisão, esportes e danças, em conformidade com sua interpretação rígida do islamismo.

Isso mudou após a invasão dos Estados Unidos, em 2001, que pôs fim ao controle da facção. Hoje o Afeganistão tem várias redes de TV, salões de beleza, estádios esportivos e salões de casamento.

Ainda assim, a sociedade afegã continua conservadora – a mulher só sai às ruas com a cabeça coberta por lenços ou com a burqa, veste que oculta todo o corpo.