Museu austríaco chega a acordo sobre obras tomadas durante Nazismo

quinta-feira, 7 de abril de 2016 17:46 BRT
 

VIENA (Reuters) - O Leopold Museum, em Viena, informou nesta quinta-feira que chegou a um acordo sobre obras de arte em sua coleção que foram roubadas durante o regime nazista e irá devolver duas delas para o herdeiro do dono original, uma vítima do Holocausto.

As cinco obras, todas do pintor austríaco Egon Schiele, eram de propriedade do empresário de Viena Karl Maylaender, que morreu após ser enviado para campo de concentração na Segunda Guerra Mundial. O museu informou que irá devolver duas aquarelas, incluindo um autorretrato de Schiele, à herdeira de Maylaender, que tem 95 anos.

As outras três peças ficarão no museu, que possui a maior coleção do mundo de obras de Schiele.

"Este é um dia feliz", disse o ministro da Cultura austríaco, Josef Ostermayer, durante entrevista coletiva. A longa discussão colocou uma sombra no museu e agora uma "solução salomônica" foi encontrada, disse.

Sob o comando de Adolf Hitler, os nazistas forçaram artistas e colecionadores judeus a venderem ou darem seus trabalhos e muitas peças foram confiscadas. Uma lei austríaca de 1998 direcionou os museus a devolverem as artes tomadas, e grandes peças foram dadas aos verdadeiros donos ou herdeiros.

(Reportagem de Kirsti Knolle)

 
Ministro da Cultura austríaco, Josef Ostermayer, ao lado de obras de Egon Schiele, em Viena.   07/04/2016        REUTERS/Leonhard Foeger