Juíza de Los Angeles dá permissão para cantora Katy Perry comprar antigo convento

quarta-feira, 13 de abril de 2016 17:58 BRT
 

Por Piya Sinha-Roy

LOS ANGELES (Reuters) - A cantora pop Katy Perry terá a chance de morar em um antigo convento católico de Los Angeles depois que uma juíza invalidou a venda da propriedade a uma restauradora nesta quarta-feira.

A disputa imobiliária, que se arrastou por meses, envolveu um grupo de freiras, a arquidiocese e um antigo convento no estilo de uma vila romana.

    Os advogados de Katy disseram em um comunicado que ficaram satisfeitos com o veredicto, e que ele abre caminho para a artista comprar o imóvel.

    O caso gerou uma desavença entre Katy, filha de pastores protestantes e uma das cantoras mais bem-sucedidas do mundo, e a arquidiocese, de um lado, e as Irmãs do Imaculado Coração de Maria de outro.

    As freiras já moraram no local e queriam vendê-lo a Dana Hollister, restauradora de Los Angeles.

    Michael Hennigan, o advogado da arquidiocese, disse que a juíza Stephanie Bowick, do Supremo Tribunal da cidade, aprovou a moção da arquidiocese para impedir totalmente a venda a Dana.

    Katy, que se tornou famosa com o sucesso "I Kissed a Girl", ofereceu 14,5 milhões de dólares pela propriedade de 3 hectares para usá-la como residência particular.

As freiras esnobaram a cantora de 31 anos, aceitando um lance de 15,5 milhões de dólares de Dana, que queria transformar o convento em um hotel.

    Em junho a arquidiocese entrou com uma ação civil afirmando ter a palavra final a respeito do destino da propriedade em benefício das freiras.

     (Reportagem adicional de Dan Whitcomb)

 
Katy Perry durante Country Music Awards em Las Vegas.  3/4/2016.  REUTERS/Steve Marcus