Analgésico à base de ópio é encontrado em corpo de Prince e no local da morte, diz mídia

quinta-feira, 28 de abril de 2016 13:32 BRT
 

Por Brendan O'Brien

(Reuters) - As autoridades que investigam a morte de Prince encontraram um remédio opiáceo no corpo do cantor, relataram vários veículos de imprensa na quarta-feira, mesmo dia no qual registros de um tribunal revelaram que um juiz escolheu um banco para salvaguardar o espólio do músico.

A CNN informou que o analgésico foi encontrado em Prince, e o jornal Star Tribune, de Minneapolis, relatou que as pílulas com receita médica foram descobertas na residência onde o artista morreu aos 57 anos na semana passada.

As duas reportagens se basearam em fontes anônimas de agentes da lei. A Reuters não conseguiu confirmá-las e as autoridades da lei locais não estavam disponíveis para comentar de imediato.

Várias organizações de notícias, incluindo a CNN, também relataram que as forças da lei locais solicitaram assistência da Agência de Repressão às Drogas dos Estados Unidos na investigação.

A polícia já disse não ter encontrado sinais de suicídio ou de traumatismo evidente na morte de Prince e que pode levar semanas antes de os resultados da autópsia revelarem como o artista pioneiro faleceu.

O Star Tribune disse que as autoridades estão tentando determinar se e qual foi o papel que os opiáceos, que são derivados do ópio, tiveram na morte do cantor, e se os remédios encontrados no local de sua morte foram receitados para ele.

O músico intensamente reservado, cujos sucessos incluem "Purple Rain", "When Doves Cry" e "Kiss", foi encontrado morto na manhã de quinta-feira passada em um elevador do complexo Paisley Park Studios, chocando fãs do mundo inteiro e inspirando homenagens sentidas de colegas do meio musical.

Também nesta quinta-feira, um juiz do condado de Carver, no Estado de Minnesota, atuando a pedido de uma irmã de Prince, Tyka Nelson, escolheu o Bremer Trust National Association como administrador especial para lidar com seu espólio, que foi estimado em centenas de milhões de dólares.

Tyka havia solicitado que o banco fosse indicado para a função, dizendo que a instituição se ocupou dos assuntos do irmão durante anos.

Uma audiência de legitimação testamentária foi marcada para o dia 2 de maio, de acordo com documentos de um tribunal estadual e o porta-voz da corte.

 
Cantor Prince durante show em Hollywood.  24/5/2006. REUTERS/Chris Pizzello