Lágrimas e aplausos no último filme de diretora Solveig Anspach em Cannes

sexta-feira, 20 de maio de 2016 12:35 BRT
 

Por Julien Pretot

CANNES, França (Reuters) - "The Together Project" (L'Effet Aquatique, no original em francês), último filme de Solveig Anspach, foi aplaudido de pé na mostra "Quinzena dos Realizadores" do Festival Internacional de Cinema de Cannes e foi descrito por seu co-roteirista como catártico depois da morte da diretora no ano passado.

O elenco e a equipe –a maioria dos quais participou dos dois filmes anteriores de Solveig, "Lulu, Nua e Crua" e "A Rainha de Montreuil"– romperam em lágrimas após a exibição.

Jean-Luc Gaget, colaborador de longa data da diretora islandesa-norte-americana, assumiu o processo de edição depois que Anspach morreu de câncer aos 54 anos de idade, antes de poder terminar o filme.

    "Foi um consolo ver que o filme estava aqui (em Cannes), que ela estava aqui conosco. Foi um momento catártico pelo qual estávamos esperando há muito tempo, porque foi difícil finalizar este filme sem ela", disse Gaget à Reuters.

    "Ficamos todos muito orgulhosos de este filme estar aqui", disse.

"The Together Project", que se passa no subúrbio parisiense de Montreuil, conta a história de Samir, que finge não saber nadar para ter aulas com a salva-vidas local Agathe, por quem se apaixonou em um bar.

     A comédia romântica indie mostra Samir seguindo Agathe até um congresso de salva-vidas na Islândia fingindo ser um delegado israelense.

     "O trabalho e os projetos a ajudaram a viver mais", contou Gaget. "Trabalhamos como se (a doença) não existisse, como se sempre fosse haver um amanhã", afirmou.

     "Acho que isso nos fortaleceu. Obviamente Solveig sentiu a pressão do tempo, mas isso lhe deu mais concentração no presente, e no cinema o presente é o que importa", disse.

     Solveig conquistou dois César, o equivalente francês do Oscar, em 2000 e 2015. Sua última obra exibida em Cannes foi "Stormy Weather" em 2003.