Material genético de gorila de Cincinnati será preservado em "zoológico de gelo"

quinta-feira, 2 de junho de 2016 11:13 BRT
 

Por Laila Kearney

(Reuters) - Depois de matar um gorila a tiros no zoológico de Cincinnati para salvar um menino de 3 anos, autoridades do parque disseram ter coletado uma amostra de seu esperma, o que despertou nos admiradores desolados de Harambe a esperança de que o primata morto possa deixar herdeiros.

Mas autoridades do principal organismo dos Estados Unidos que supervisiona a criação de animais de zoológico afirmou ser altamente improvável que a contribuição do gorila ao "zoológico de gelo" norte-americano de material genético de espécies raras e ameaçadas de extinção seja usada para gerar novos animais.

    "Atualmente não é nada que usaríamos para reprodução", disse Kristen Lukas, que dirige o Plano de Sobrevivência de Espécies de Gorila da Associação de Zoológicos e Aquários (AZA), na quarta-feira. "Ele será arquivado e armazenado para uso no futuro ou para estudos de pesquisa".

    Isso entra em choque com um comunicado feito no final de semana pelo diretor do zoológico de Cincinnati, Thane Maynard, de que a morte do primata de 17 anos, que era jovem demais para procriar, "não é o fim de sua reserva genética".

    Autoridades do zoológico não responderam às tentativas de contato feitas na quarta-feira pedindo mais detalhes sobre seus planos para o esperma de Harambe.

    Na atualidade existem 350 gorilas da espécie de Harambe em zoológicos dos EUA, de acordo com a AZA, que concede aprovação a zoológicos e a planos de reprodução. Essa população é grande o suficiente para manter um programa de procriação tão robusto que muitas fêmeas com idade para conceber recebem contraceptivos hormonais.

    A administração do zoológico de Cincinnati sustentou a decisão de abater Harambe no sábado, argumentando que o animal de 200 quilos poderia ter matado ou ferido gravemente o menino que caiu em seu habitat.

Mas a decisão desencadeou protestos e petições na Internet e levou a polícia de Cincinnati a iniciar uma investigação sobre a família da criança, que sofreu ferimentos leves no incidente.