Madonna vence processo de violação de direitos autorais por canção "Vogue"

quinta-feira, 2 de junho de 2016 12:27 BRT
 

Por Dan Levine

NOVA YORK (Reuters) - A cantora pop Madonna venceu nesta quinta-feira um processo de violação de direitos autorais relativo à sua canção "Vogue", no qual se alegava que um produtor copiou um segmento de uma fração de segundo da seção de metais de uma canção anterior.

A Corte de Apelações do 9° Circuito dos Estados Unidos determinou que uma audiência geral não irá reconhecer o trecho de 0,23 segundo de "Vogue" como originalmente pertencente a "Love Break".

Os advogados do demandante, a gravadora VMG Salsoul, não foram encontrados de imediato para comentar.

Shep Pettibone, um dos produtores de "Vogue", também gravou a canção "Love Break", no início dos anos 1980, de acordo com o veredicto.

A VMG Salsoul detém os direitos autorais de "Love Break" e alegou que Pettibone sampleou o "toque de metais" do trabalho anterior e o acrescentou a "Vogue".

Os três juízes do 9° Circuito votaram por 2 x 1 a favor de Madonna, Pettibone e outros réus, incluindo a gravadora Warner Bros Records. O juiz Barry Silverman, o único do painel a discordar da decisão, disse que mesmo uma pequena passagem de uma canção, se usada sem licença, deveria ser uma violação de direitos autorais.

"Em qualquer outro contexto isso seria chamado de roubo", escreveu Silverman.

Não foi possível fazer contato com um advogado de Madonna de imediato para obter comentários.

 
Cantora pop Madonna durante apresentação na China.    20/02/2016        REUTERS/Bobby Yip