Influência política do Facebook é analisada criteriosamente em meio a eleições nos EUA

quarta-feira, 29 de junho de 2016 18:52 BRT
 

(Reuters) - Com a campanha presidencial dos Estados Unidos se acelerando, o Facebook está se esforçando para mostrar neutralidade - um assunto cada vez mais urgente para a rede social, uma vez que evidências sobre seu poder continuam a surgir.

Estudos recentes mostraram que a rede social tem uma influência extraordinária. De acordo com pesquisas que devem ser publicadas em agosto, no Journal of Communications, quando pessoas marcaram seus amigos em lembretes de votação do Facebook, o comparecimento aumentou entre 15 e 24 por cento.

Durante as eleições primárias para a Presidência dos EUA este ano, um lembrete que informou as pessoas quando o prazo de registro para votação em seu Estado estava se aproximando e fornecia um link que ajudou a produzir um aumento de quase 650 mil novos registros de votações somente na Califórnia, de acordo com o Secretário de Estado Alex Padilla.

No Reino Unido, um lembrete do Facebook dias antes do prazo para se registrar para votar no referendo sobre a saída do país da União Europeia levou 186 mil pessoas a se registrarem online, de acordo com o governo.

"Geralmente, conseguir que as pessoas votem pode balançar uma eleição nacional", disse a doutoranda da Universidade do Texas em Austin Katherine Haenschen, autora do estudo que será divulgado em breve no Journal of Communications.

O Facebook está ávido para mostrar que seu envolvimento político é limitado a atividades que parecem neutras, como encorajar o voto. A empresa divulgou essa semana diretrizes que governam o importante feed de notícias - seção onde são exibidas a maior parte das postagens no Facebook - e refutou fortemente alegações de viés político em seu Trending Topics.

(Por Yasmeen Abutaleb)