Chefe da Fox News se demite do canal depois de alegações de assédio sexual

quinta-feira, 21 de julho de 2016 19:29 BRT
 

Por Jessica Toonkel

NOVA YORK (Reuters) - Roger Ailes, que transformou a Fox News num canal lucrativo e de grande audiência, se demitiu dos cargos de presidente e executivo-chefe da popular emissora a cabo, depois de alegações de assédio sexual, disse a empresa nesta quinta-feira.

Rupert Murdoch, de 85 anos, presidente-executivo da Twenty-First Century Fox, que controla a Fox News, vai assumir os cargos de presidente e de executivo interino da Fox News e da Fox Business Network.

Os termos da saída de Ailes não foram divulgados.

Susan Estrich, advogada de Ailes, não estava imediatamente disponível para comentar.

A saída marca um declínio rápido para Ailes, o executivo de mídia de 76 anos que assessorou presidentes republicanos dos Estados Unidos como George H. W. Bush, e transformou a Fox News no canal a cabo de notícias mais visto nos EUA.

A ex-âncora da Fox News Gretchen Carlson processou Ailes neste mês, alegando assédio sexual. Ailes negou a acusação. A Fox contratou um escritório de advocacia para realizar uma investigação interna.

A revista New York publicou em seguida relatos de outras mulheres que se disseram assediadas por Ailes, atos que teriam ocorrido desde a década de 1960. Na terça-feira, a revista disse que a popular âncora do canal Megyn Kelly havia dito a investigadores contratados pela Fox que foi alvo de “avanços sexuais não desejados” de Ailes há cerca de dez anos.

Ailes não assediou sexualmente Kelly, de acordo com comunicado atribuído aos advogados do executivo no New York Times de terça-feira. Os advogados não responderam a perguntas da Reuters.