Designer italiano Giorgio Armani cria fundação visando futuro de império de moda

sexta-feira, 29 de julho de 2016 13:38 BRT
 

Por Giulia Segreti

MILÃO (Reuters) - O designer de moda italiano Giorgio Armani disse nesta sexta-feira que vai criar uma fundação em seu nome, trazendo um pouco de luz sobre os planos de sucessão de seu negócio da moda.

Armani, que recentemente completou 82 anos, fundou o famoso grupo em 1975 e é o único acionista. 

Ainda ativamente envolvido no negócio, ele nunca indicou claramente um herdeiro ou traçou planos futuros para seu império, que abrange desde roupas e cosméticos a design de interiores e hotéis. 

Armani disse em comunicado que a fundação vai “salvaguardar a governança de ativos do Grupo Armani e garantir que eles sejam mantidos ao longo do tempo, em respeito e consistente com alguns princípios que são particularmente importantes para mim.”

De acordo com o analista Luca Solca, do Exane BNP Paribas, “um cenário futuro provável é que o negócio de Armani seja protegido na fundação, em um arranjo similar ao feito pela fabricante de relógios de luxo Rolex.”

A Rolex é controlada por uma fundação que leva o nome de seu fundador, Hans Wilsdorf.

O grupo Armani, conhecido por seus cortes refinados, também é visto com potencial de abrir o capital. 

Giorgio Armani disse que a administração futura da empresa tem que ser comprometida com “inovação e excelência”, e ser apoiado por “investimentos apropriados, gestão financeira prudente e equilibrada, dependência limitado à dívida e cuidadosa abordagem de aquisições.”

O comunicado não deu detalhes adicionais.

"Esta estrutura vai certamente tornar mais difícil, se não impossível, para a Giorgio Armani para ser comprada por outro grupo. Armani sempre disse que queria manter seu grupo independente", disse o analista Mario Ortelli da Bernstein.