Homem mais rico da China quer fechar negócio de U$2 bi com Hollywood

terça-feira, 23 de agosto de 2016 16:19 BRT
 

Por Matthew Miller e Shu Zhang

PEQUIM (Reuters) - O conglomerado de imóveis e de entretenimento Dalian Wanda Group Co espera fechar dois negócios relacionados ao cinema por 2 bilhões de dólares nos Estados Unidos neste ano, disse o presidente de seu conselho, Wang Jianlin, nesta terça-feira, em mais uma investida do homem mais rico da China sobre Hollywood.

Depois de finalizar a aquisição de duas empresas de cinema sem relação com a produção de filmes – cada uma delas no valor de mais de 1 bilhão de dólares –, o próximo alvo da Dalian Wanda é um dos chamados "Seis Grandes" estúdios de cinema, disse Wang à Reuters em uma entrevista exclusiva.

"Meu objetivo é comprar empresas de Hollywood e trazer sua tecnologia e sua competência para a China", contou Wang.

Ele não quis detalhar os dois acordos em vista, que incrementariam ainda mais o império cinematográfico da Wanda.

Em janeiro, Wang gastou 3,5 bilhões de dólares na aquisição do controle do estúdio norte-americano Legendary Entertainment, responsável por sucessos como "Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros", fazendo da Wanda a primeira companhia chinesa a ter a posse de um grande estúdio de Hollywood.

A Dalian Wanda, que entrou na lista Global 500 da revista Fortune neste ano, pretende triplicar as receitas de sua divisão cultural, liderada por entretenimento, esportes e turismo, elevando a cifra para 22,6 bilhões de dólares até 2020.

No mês passado a Reuters noticiou que a Wanda conversou com a Viacom Inc a respeito da compra de suas ações do estúdio Paramount Pictures, um dos "Seis Grandes", que ainda inclui Twentieth Century Fox, Warner Brothers, Walt Disney K, Universal Pictures e Columbia.

"Estamos interessados não somente na Paramount, mas em todos eles. Se um dos Seis Grandes estivesse disposto a ser vendido para nós, estaríamos interessados", disse Wang.   Continuação...

 
Wang Jianlin, durante entrevista em Pequim
23/8/2016 REUTERS/Thomas Peter