Ryan Gosling e Emma Stone levam tom moderno para era de ouro de Hollywood em "La La Land"

terça-feira, 13 de setembro de 2016 16:38 BRT
 

Por Piya Sinha-Roy

TORONTO (Reuters) - Enquanto dramas intensos e filmes baseados em histórias reais dominaram o Festival Internacional de Cinema de Toronto, uma vibrante história de amor inspirada pelo época de ouro dos musicais de Hollywood teve uma recepção calorosa.

"La La Land - Cantando Estações", um musical contemporâneo sobre amantes que buscam seus sonhos em Hollywood e que estrela Emma Stone e Ryan Gosling, foi aplaudido de pé em sua estreia na noite de terça-feira.

"É uma ótima história e são dois personagens que prendem e a música ajuda nisso", disse à Reuters Gosling, que interpreta um atormentado pianista de jazz, no tapete vermelho. Ele acrescentou que não pensa que espectadores precisam gostar de musicais para apreciar o filme.

Emma Stone, que interpreta uma aspirante a atriz, disse: "aprendi a sapatear e a dançar e cantar ao vivo paras as câmeras, o que foi bem insano".

"La La Land" é o segundo filme do escritor e diretor Damien Chazelle, de 31 anos. Seu primeiro filme, "Whiplash - Em Busca da Perfeição", um intenso estudo de um baterista de jazz pela forma perfeita, ganhou três Oscars.

"Queria fazer um musical, mas baseado na vida real e investir em coisas que são autênticas", disse Chazelle em breve sessão de perguntas e respostas após exibição do filme.

Críticos elogiaram as atuações e o clima do filme, que segue vidas que se convergem em um caos poético, enquanto tentam realizar seus próprios sonhos, mesmo quando se apaixonam.

"Todo personagem precisa ajustar o balanço entre sonho e realidade", disse Chazelle. "Estes dois sempre serão os amantes perfeitos para mim."

 
Ator Gosling chega para tapete vermelho de "La La Land" em Toronto.  12/9/2016.    REUTERS/Mark Blinch