"Geração Y" é a maior usuária de bibliotecas nos EUA

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008 11:23 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - Mais de metade dos norte-americanos visitaram uma biblioteca no ano passado e muitos deles foram atraídos pelos computadores mais do que pelos livros, de acordo com pesquisa divulgada esta semana.

Dos 53 por cento dos adultos norte-americanos que dizem ter visitado uma biblioteca em 2007, a maior concentração de usuários estava na faixa etária dos jovens de 18 a 30 anos, composta por entusiastas da tecnologia e conhecida como "Geração Y", afirmou a pesquisa do Pew Internet & American Life Project.

"Essas constatações viram de cabeça para baixo nossas idéias sobre bibliotecas", disse Leigh Estabrook, professora emérita na Universidade de Illinois e co-autora de um relatório sobre os resultados da pesquisa.

"O uso da Internet parece criar uma fome de informações, e são os jovens adeptos da informação que têm maior probabilidade de visitar uma biblioteca", afirmou ela.

Os usuários de Internet tinham probabilidade duas vezes maior de utilizar uma biblioteca do que os não-usuários, de acordo com a pesquisa.

Mais de dois terços dos visitantes das bibliotecas, em qualquer que seja sua faixa etária, disseram usar computadores durante suas visitas.

Sessenta e cinco por cento deles consultaram informações na Internet e 62 por cento usaram computadores para verificar recursos disponíveis nas bibliotecas.

As bibliotecas públicas agora oferecem assistência virtual às tarefas escolares, programas especiais de jogos, e alguns bibliotecários chegaram a criar personagens no mundo virtual Second Life, disse Estabrook.

A pesquisa demonstrou que 62 por cento dos respondentes da geração Y afirmaram ter ido a uma biblioteca nos últimos 12 meses, e que a proporção de usuários cai firmemente de faixa etária a faixa etária. Cerca de 57 por cento dos adultos de 43 a 52 anos dizem ter ido a uma biblioteca em 2007; essa proporção cai a 46 por cento para a faixa dos 53 a 61 anos; a 42 por cento para a dos 62 a 71; e a apenas 32 por cento para as pessoas com idade superior a 72 anos.   Continuação...