ESTRÉIA-"A Lei do Desejo", de Almodóvar, volta em cópia nova

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008 10:58 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Volta ao cinema em São Paulo, na sexta-feira, o drama "A Lei do Desejo", filme de 1987 do diretor espanhol Pedro Almodóvar que, 20 anos após seu lançamento, ainda não foi lançado em DVD no Brasil.

Para quem conhece a obra de Almodóvar, "A Lei do Desejo" traz um universo familiar. Estão presentes temas como a paixão doentia, o impulso sexual, a homossexualidade, a transexualidade e as famílias anticonvencionais.

Todos esses elementos estão presentes na história do cineasta Pablo Quintero (Eusebio Poncela). Profissional de sucesso, Pablo anda apaixonado pelo jovem Juan (Miguel Molina). Mas este não corresponde com o mesmo ardor e volta para sua cidade natal, deixando Pablo um tanto desconsolado.

O cineasta tem uma irmã, Tina (Carmem Maura), que nasceu homem e fez mudança de sexo anos atrás. Atriz, Tina torna-se intérprete do monólogo "A Voz Humana", de Jean Cocteau, no teatro. O irmão escreve uma história para que ela protagonize seu próximo filme.

Enquanto isso, ela adota uma menina, Ada (Manuela Velasco), cuja mãe (Bibi Andersen) viajou. A menina é platonicamente apaixonada por Pablo, seu tio adotivo.

Nesse ambiente repleto de fantasias sexuais, entra um componente sombrio, a figura de Antonio Benítez (Antonio Banderas). Jovem de classe alta, ele tem problemas para assumir publicamente sua homossexualidade. Mas não hesita em seguir Pablo, com uma insistência que leva o cineasta, agora solitário, a render-se aos seus carinhos.

Desde o começo, o envolvimento entre Antonio e Pablo será desequilibrado. Ao descobrir a existência de Juan, a outra paixão de Pablo, Antonio torna-se cada vez mais ciumento e possessivo.

Vivendo a enérgica Tina, Carmem Maura encarrega-se de muitos diálogos cômicos. Uma de suas cenas mais sensuais é quando pede a um jardineiro que a molhe com a mangueira com que ele regava as plantas de uma praça, numa noite de intenso calor.

Tal como em filmes anteriores, especialmente "Matador" (1986), Almodóvar explora os efeitos do desejo sobre a vida das pessoas. Alguns, como Antonio, levarão a angústia de seus sentimentos ao limite do crime.

(Por Neusa Barbosa, do Cineweb)