Na avenida, palmeirenses sambam e corintianos lembram derrota

domingo, 3 de fevereiro de 2008 08:58 BRST
 

Por Alice Assunção e Vanessa Stelzer

SÃO PAULO (Reuters) - Como é de costume, samba e futebol misturaram-se no desfile do Carnaval de São Paulo, mas desta vez, enquanto os palmeirenses foram sambar, os corintianos tentaram recuperar na avenida o ânimo abalado pelo desempenho nos gramados.

O Corinthians foi rebaixado para 2a divisão do futebol em 2007, enquanto a Gaviões comemorava a volta ao Grupo Especial após ter caído em 2006.

No final do desfile, passistas que desfilaram na Gaviões e parte da arquibancada sobrepuseram ao samba-enredo da escola o hino que a torcida costuma cantar nos campos de futebol, declarando o amor ao time: "Eu vivo por ti, Corinthians... Vamos meu timão, não pára de lutar".

O apoio também veio das camisetas lançadas após o rebaixamento do time com a frase "Eu nunca vou te abandonar", que foi usada por muitos foliões.

O enredo da Gaviões, no entanto, nem chegou perto do futebol, ao contar a história de Santana do Parnaíba, mas na última hora a escola deu um jeito de ensaiar uma aproximação.

Segundo Fabinho do Cavaco, autor da letra, a parte que fala da "energia pioneira dos bandeirantes" é para que os corintianos ganhem força, para "trazer o Corinthians de volta à primeira divisão".

O enredo da Mancha homenageou o escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, que desfilou em um dos carros da escola.

No fim do desfile, os foliões também cantaram o hino da torcida nos campos de futebol, em tom de comemoração.

Como costuma ocorrer todos os anos, as duas torcidas também levaram faixas corintianas e palmeirenses para adornar as arquibancadas durante o desfile das escolas.

"Agora que o Corinthians já está fora do futebol, a gente quer ganhar aqui (Carnaval), mas é melhor ganhar no futebol, porque no futebol todo mundo lembra mais", disse o palmeirense Fabrício Santos, motoboy de 23 anos, que desfilou pela Mancha.