ESTRÉIA-Herzog recupera herói alemão em "O Sobrevivente"

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007 14:08 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Em seu primeiro filme em Hollywood, o veterano alemão Werner Herzog resgata um conceito de heroísmo militar que a guerra do Iraque vem desgastando no imaginário norte-americano ao romancear a história real do piloto alemão Dieter Dengler (1938-2001).

"O Sobrevivente" estréia na sexta-feira em São Paulo, Brasília, Porto Alegre e Campinas, entrando em cartaz no Rio de Janeiro na próxima semana.

Ultimamente, o consagrado diretor de "Aguirre, a Cólera dos Deuses" (1972), "O Enigma de Kaspar Hauser" (1974) e "Fitzcarraldo" (1982) teve mais êxito nos documentários. Um exemplo está em "Meu Melhor Inimigo" (1999), onde traça um retrato implacável tanto de si mesmo como do amigo e ator-fetiche Klaus Kinski, que morreu em 1991.

Outra aposta bem-sucedida foi "O Homem-Urso" (2005), mergulho na personalidade polêmica de Timothy Treadwell, defensor dos ursos cinzentos que acabou morto por um deles, em 2003.

A própria história de "O Sobrevivente" havia sido explorada em 1997 por Herzog em outro documentário, "Little Dieter Needs to Fly", que contava com a participação do próprio piloto Dieter Dengler na reconstituição de sua incrível história de sobrevivência. Nascido na Alemanha, Dieter emigrou para os EUA depois da II Guerra Mundial, ganhando a cidadania norte-americana para realizar o sonho de tornar-se piloto militar.

Dieter foi abatido com seu caça logo em seu primeiro vôo, quando realizava bombardeios secretos sobre o Laos, uma operação ligada à guerra do Vietnã. Capturado por guerrilheiros locais, o piloto sofre torturas, fome, sede e é enviado para um campo de prisioneiros cercado pela selva mais inóspita. Deste campo, ele escapa, meses depois, e é um dos poucos a sobreviver a um período perdido na mata, até ser resgatado por aviões norte-americanos. Posteriormente, foi condecorado por bravura.

Interpretado por Christian Bale, o novo intérprete de Batman no cinema, Dieter tem um defensor de indiscutível talento. A entrega de Bale aos seus papéis é conhecida.

Os momentos mais interessantes pertencem a algumas seqüências no campo, onde a força de vontade de Dieter é um estímulo para que os colegas Duane (Steve Zahn) e Gene (Jeremy Davies) participem de um complicado plano de fuga.

O calvário físico dos prisioneiros, submetidos à fome, em todo caso, parece ter sido bem real para os atores. Bale, Zahn e, especialmente, Davies, estão impressionantemente magros no filme.

(Por Neusa Barbosa, do Cineweb)