ESTRÉIA-Terror "O Orfanato" explora os medos da infância

quinta-feira, 6 de março de 2008 11:19 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - "O Orfanato", que tem produção do premiado mexicano Guillermo del Toro, conta uma história de fantasmas e outros medos de infância, com estréia nacional nesta sexta-feira. O filme é uma co-produção da Espanha e México.

Del Toro é produtor e diretor de filmes de suspense e terror sofisticados, como "A Espinha do Diabo" (2001) e "O Labirinto do Fauno", vencedor de três Oscars em 2006.

A visão da infância de del Toro, traduzida em seus filmes, é sempre perturbadora.

Em "O Orfanato", as lembranças da infância voltam com força à vida de uma mulher adulta, Laura (Belén Rueda, de "Mar Adentro"), que decide voltar a viver na casa onde funcionava um antigo orfanato. Ali ela cresceu até os 7 anos, quando foi adotada.

Seu plano, na verdade, é reabrir o lugar, hoje abandonado. Junto com o marido médico Carlos (Fernando Cayo) e o filho Simon (Roger Príncep), ela pretende criar ali uma instituição voltada ao atendimento de crianças com alguma deficiência. Antes que o plano de reforma seja colocado em prática, Laura encontra motivos de inquietação.

Seu filho começa a falar de um amigo invisível. Quando o desenha, como uma criança que usa um saco de papel cobrindo o rosto, lembra uma figura do passado de Laura no orfanato.

Depois da visita inesperada de uma estranha assistente social (Montserrat Carulla), o menino descobre dois segredos sobre sua vida e desaparece repentinamente.

O desespero de Laura leva-a a explorar todas as hipóteses, inclusive as paranormais. Ela suspeita que haja fantasmas na casa, até porque ela mesma já viu um, que lhe rouba uma chave -- talvez a sequência que dá o maior susto do filme.

Não encontrando o filho depois de meses, recorre a uma vidente, Aurora (Geraldine Chaplin, de "Fale com Ela") que, em transe, visita cada canto da casa e lhe dá algumas pistas.

O diretor estreante Juan Antonio Bayona conduz a história em ritmo razoável, embora com muitos clichês. Só são mesmo acima da média o desempenho de Belén Rueda, na pele de uma mãe disposta a tudo para encontrar o filho, e a fotografia de Oscar Faura, traduzindo em nuances a ambiguidade da história.

(Por Neusa Barbosa, do Cineweb)

 
<p>Terror 'O Orfanato' explora os medos da inf&acirc;ncia. 'O Orfanato', que tem produ&ccedil;&atilde;o do premiado mexicano Guillermo del Toro, conta uma hist&oacute;ria de fantasmas e outros medos de inf&acirc;ncia, com estr&eacute;ia nacional nesta sexta-feira. O filme &eacute; uma co-produ&ccedil;&atilde;o da Espanha e M&eacute;xico. Foto do Arquivo. Photo by Robert Galbraith</p>