Spielberg é processado por apropriar-se de Hitchcock

terça-feira, 9 de setembro de 2008 08:43 BRT
 

Por Edith Honan

NOVA YORK (Reuters) - O diretor Steven Spielberg e grandes estúdios de Hollywood roubaram o enredo do clássico de Alfred Hitchcok "Janela Indiscreta", de 1954, no filme "Paranóia", segundo um processo judicial apresentado à Corte Federal da Califórnia na segunda-feira.

A DreamWorks, a Viacom Inc e a Universal Pictures são acusadas de infringir os direitos autorais e quebrar um contrato por produzirem "Paranóia" sem a permissão dos detentores dos direitos da trama, segundo o processo.

Spielberg, fundador da Dreamworks, é citado como réu. O filme obteve cerca de 80 milhões de dólares nas bilheterias norte-americanas.

De acordo com o processo, aberto pela Sheldon Abend Revocable Trust, a base do filme de Hitchcock foi "Assassinato de uma Janela", conto de Cornell Woolrich.

Hitchcock e o ator James Stewart obtiveram os direitos de adaptação da história para os cinemas em 1953. O processo alega que a DreamWorks deveria ter feito o mesmo.

"O que os réus relutam em fazer aberta, legal e legitimamente, eles fizeram de forma clandestina, pela porta dos fundos, usando a história de 'Janela Indiscreta' sem pagar compensações".

O porta-voz de Spielberg não quis comentar o assunto, assim como representantes da Viacom e da NBC Universal.

De acordo com o processo, os enredos de "Paranóia" e "Janela Indiscreta" são "essencialmente os mesmos". Ambos são mistérios que começam com um homem que, ao espreitar pela janela, testemunha um comportamento estranho no apartamento da vizinha.

Nas três obras, o protagonista age essencialmente da mesma maneira, interage com personagens semelhantes e a intriga termina basicamente da mesma forma, segundo o processo.

"Em 'Paranóia', os réus claramente produziram variações com frases reformuladas e isso foi feito propositalmente, a fim de produzir essencialmente a mesma história que 'Janela Indiscreta"', diz o texto do processo. A resenha do jornal The New York Times chamou 'Paranóia' de "'Janela Indiscreta' meio adolescente". Já o Toronto Star classificou o filme como "apropriação descarada".