ESTRÉIA-Sucesso em Sundance, comédia "Garçonete" estréia no Rio

quinta-feira, 11 de outubro de 2007 12:29 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Musa do cinema independente do início dos anos 1990, em filmes como "A Incrível Verdade" (1989) e "Confiança", do diretor Hal Hartley, Adrienne Shelly fez uma transição segura ao posto de diretora na comédia romântica "Garçonete", em que ela também atuou.

Entretanto, a atriz e diretora de 40 anos nem chegou a ver o sucesso deste que foi seu último trabalho no Festival de Sundance deste ano. Ela foi assassinada por um imigrante equatoriano em Nova York, em novembro de 2006. O filme estréia apenas no Rio de Janeiro.

A protagonista da história é Jenna (Keri Russell, protagonista da série "Felicity"), a melhor garçonete de um restaurante de beira de estrada, o Joes Dinner. Saem de suas mãos as melhores receitas de tortas que atraem os clientes. Mas Jenna está muito infeliz. Seu casamento com o ciumento Earl (Jeremy Sisto, da série "A Sete Palmos"), vai de mal a pior.

Jenna sonha em ganhar muito dinheiro num concurso de receitas de tortas e cair fora de sua cidadezinha, abandonando o marido. De repente, descobre que está grávida e fica abalada. Suas colegas no restaurante, as garçonetes Dawn (Adrienne Kelly) e Becky (Cheryl Hines) lhe dão a maior força.

Enquanto a gravidez adia seus planos de liberdade, Jenna é forçada a uma mudança de ginecologista. Chegou à cidade o doutor Pomatter (Nathan Fillion). Gentil, ele acaba atraindo Jenna e os dois se envolvem num romance tão secreto quanto intenso. O problema é que os dois são casados.

O centro do enredo está na solidariedade entre as três garçonetes, que trocam confidências e se apóiam, dentro e fora do trabalho. O filme é bem menos adocicado do que se poderia esperar à primeira vista. A protagonista Jenna expõe com rara franqueza seus conflitos em relação à sexualidade e à maternidade, tornando-se uma heroína bastante moderna.

(Por Neusa Barbosa, do Cineweb)