Inspiração japonesa alimenta estilistas e exposições no SPFW

sexta-feira, 13 de junho de 2008 12:36 BRT
 

Por Fernanda Ezabella

SÃO PAULO (Reuters) - A 25a edição do São Paulo Fashion Week, que começa na terça-feira, será dos japoneses. Por toda a parte o Japão será lembrado, até nas exposições e na decoração do prédio da Bienal, no parque do Ibirapuera.

Além da invasão nipônica, o SPFW terá como destaque a volta de Gisele Bunchen depois de quatro anos de ausência, e grifes de moda praia que só desfilam nas temporadas de primavera-verão -- Blue Man, Cia Marítima, Rosa Chá e Água de Coco.

O intercâmbio com o Japão, que levará criações brasileiras a Tóquio em setembro, faz parte das comemorações do centenário da imigração japonesa ao Brasil, que atinge seu ponto máximo neste mês.

"O Japão é um país emblemático para moda", explicou Graça Cabral, uma das diretoras do SPFW. "Tem toda a influência do japonismo, desde os quimonos, as pinturas, até a tecnologia e o pop que sempre serviram de inspiração para a moda."

O tema desta edição será a palavra japonesa "motainai", que, segundo Graça, quer dizer "respeito" e também "não desperdício", seguindo a linha de sustentabilidade que o evento vem investindo há alguns anos.

"É a idéia de você respeitar o outro, o seu meio ambiente, e se respeitar. E com isso você não vai desperdiçar, você vai valorizar as coisas que tem a sua volta", disse Graça.

O estilista Kenzo Takada, criador da grife que leva seu nome, já está no país e vai participar de um seminário. Também estarão no evento Nobuyuki Ota, presidente da grife Issey Miyake e da Tokyo Fashion Week, e Sanae Kosugui, diretora de pós-graduação do Bunka Fashion College.

Criações de Kenzo e outros ícones da moda japonesa, como Yohji Yamamoto, Issey Miyake, Rei Kawakubo e Junya Watanabe, poderão ser conferidas na exposição "Olhar Contemporâneo", que pretende fazer um panorama fashion do país.   Continuação...