ENTREVISTA-Santoro mergulha em Cuba para viver Raúl Castro

segunda-feira, 12 de maio de 2008 13:36 BRT
 

Por Fernanda Ezabella

SÃO PAULO (Reuters) - Os olhos de Rodrigo Santoro e um certo atrevimento podem ter garantido ao ator um de seus papéis mais polêmicos. O brasileiro será o cubano revolucionário Raúl Castro no filme "Che", de Steven Soderbergh, que o levará nos próximos dias ao Festival de Cinema de Cannes.

O filme, que conta com o apoio do Centro Che Guevara, em Havana, faz uma adaptação dos diários de Che durante a revolução que começou em Cuba, ao lado de Fidel Castro e seu irmão, Raúl, nos anos 1950. "Che" tem mais de quatro horas de duração -- na verdade são dois filmes, "O Argentino" e "Guerrilha" -- e será exibido em duas partes no festival.

Esta será a segunda vez de Santoro em Cannes, após sua ida com "Carandiru" cinco anos atrás. Ele também estará no festival com o argentino "Leonera", que assim como "Che" é falado em espanhol e está na competição do festival. O evento abre na quarta-feira.

"Sabia que era um personagem delicado e muito polêmico", disse Santoro à Reuters sobre o papel de Raúl Castro, hoje presidente de Cuba. "Como ator, o que eu tenho que fazer é tentar incorporar um ser humano. Não vou fazer uma análise política, eu não posso julgá-lo", disse.

"Eu estou fazendo não o Raúl Castro. Eu estou fazendo o Raúl, o ser humano, o camarada que viveu aquela revolução."

Para fugir dos "estereótipos" que afirmou ter encontrado na Internet, Santoro embarcou em uma longa viagem a Cuba, durante quase dois meses. Visitou Sierra Maestra, de onde Fidel comandou a revolução, e a casa onde os irmãos nasceram.

"Adorei a ilha, passei dias maravilhosos, adorei as pessoas, a energia", disse Santoro por telefone. "Naturalmente é um mundo paralelo ... nem dá pra ficar descrevendo", disse.

"Mas ficou totalmente guardado no meu coração. Eu me sinto um pouco cubano. Foi muito forte a experiência."   Continuação...

 
<p>Santoro mergulha em Cuba para viver Ra&uacute;l Castro. Rodrigo Santoro em imagem de arquivo. Os olhos de Santoro e um certo atrevimento podem ter garantido ao ator um de seus pap&eacute;is mais pol&ecirc;micos. O brasileiro ser&aacute; o cubano revolucion&aacute;rio Ra&uacute;l Castro no filme 'Che', de Steven Soderbergh, que o levar&aacute; nos pr&oacute;ximos dias ao Festival de Cinema de Cannes. 8 de maio de 2004. Photo by Marion Curtis</p>