Will Smith pede debate pelo fim de greve de roteiristas nos EUA

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008 18:11 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ator norte-americano Will Smith, que está no Rio de Janeiro para o lançamento do filme "Eu Sou a Lenda", afirmou na segunda-feira que compreende a greve dos roteiristas nos Estados Unidos, mas espera que a paralisação termine logo para evitar o cancelamento da cerimônia do Oscar.

A cerimônia de entrega dos prêmios Globo de Ouro no domingo foi cancelada e substituída por uma coletiva de imprensa devido à greve dos roteiristas, que exigem melhor remuneração de seus trabalhos em tempo de novas mídias, como downloads de filmes na Internet.

"Isso (a greve) tem que acontecer para discutir a situação. Quando o Globo de Ouro é cancelado é sinal de que se precisa discutir", disse Smith a jornalistas, em coletiva no hotel Copacabana Palace.

"O Globo de Ouro não é apenas um programa de televisão. São centenas de pessoas envolvidas naquele trabalho, pessoas que poderiam usar aquele dinheiro para sustentar a sua família por dois meses", continuou.

Ao lado do ator estavam o diretor do filme, Francis Lawrence, e o roteirista Akiva Goldsman. Na noite de segunda-feira, os três vão à pré-estréia do filme no Cine Odeon, centro do Rio.

Bem-humorado, Smith cumprimentou os jornalistas arranhando o português: "Bom dia, estou feliz em estar aqui no Brasil com vocês", disse.

O ator também afirmou que, ao contrário de sua visita ao Rio em 2005, durante o Carnaval, desta vez ele está mais "tranquilo".

"Da última vez quase tive problemas porque me empolguei com festas e caipirinhas. Desta vez, nada de Carnaval", disse Smith.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier; Texto de Fernanda Ezabella)