OBITUÁRIO-Dorival Caymmi, precursor da bossa-nova, morre aos 94

sábado, 16 de agosto de 2008 18:24 BRT
 

Por Fernanda Ezabella

SÃO PAULO (Reuters) - O cantor e compositor baiano Dorival Caymmi, autor de clássicos da música brasileira e considerado o avô da bossa-nova, morreu neste sábado em sua casa no Rio de Janeiro, aos 94 anos, por insuficiência múltipla dos órgãos.

Caymmi, que compôs, entre outras, "O que que a baiana tem?", "Doralice" e "Modinha para Gabriela", nasceu em abril de 1914, em Salvador. Foram mais de 60 anos de carreira, 20 discos lançados e inúmeras músicas gravadas por grandes intérpretes da MPB.

Filho de um músico amador e de uma doméstica que cantava em casa, Caymmi frequentava o côro da igreja e aprendeu a tocar violão sozinho. Sua estréia profissional aconteceu na Rádio Clube da Bahia e, aos 22 anos, ganhou um concurso de músicas de Carnaval, com o samba "A Bahia também dá".

Ao se mudar para o Rio de Janeiro, em 1938, Caymmi viu sua carreira deslanchar, principalmente após ter Carmen Miranda interpretando sua canção "O que que a baiana tem?", vendida a um estúdio para o filme "Banana da Terra", estrelado pela cantora, a mais popular da época e prestes a fazer sucesso estrondoso nos Estados Unidos.

Foi a partir desta canção que Carmen Miranda criou o figurino de baiana estilizada que a consagraria internacionalmente, com o turbante de frutas e os balagandãs.

PINTURA E BOSSA-NOVA

Nos anos 1940, Caymmi dedica-se à pintura e ao desenho, explorando cenários baianos, como pescadores e comunidades beira-mar. Foi também nesta fase que compôs as chamadas "canções praieiras", que levaram para o resto do Brasil o estilo de vida baiano e tradições populares, como "Samba da Minha Terra" e "A Jangada Voltou Só".

"Minha música sempre foi figurativa. Vejo a música como um quadro, uma composição geral em que o fator humano é preponderante", disse o compositor.   Continuação...