ESTRÉIA-"Unidos pelo Sangue" dramatiza disseminação da Aids

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008 11:21 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Um elenco de atrizes consagradas, como Olympia Dukakis, Chloe Sevigny, Lucy Liu e Stockard Channing é um dos principais trunfos do filme "Unidos pelo Sangue", que aborda o início e a expansão da Aids em três continentes e estréia nesta sexta-feira.

China, África do Sul e Canadá são os locais das três histórias que se desenvolvem paralelamente, em meados dos anos 1980. Na China, uma contrabandista de sangue, Jin Ping (Lucy Liu, de "As Panteras"), consegue grandes quantidades de doações de camponeses empobrecidos, atraídos pelo pagamento de 5 dólares.

Os controles sanitários desses doadores são precários. Jin só costuma recusar quem está gripado ou aparentemente doente. Observa-se pouquíssima higiene no manuseio das agulhas e seringas. Como resultado, após sua passagem, as aldeias chinesas enchem-se de dezenas de contaminados pelo HIV.

Na África do Sul, o problema começa com primitivos rituais de circuncisão de algumas tribos, que ignoram preceitos higiênicos. Além do risco de infecções, há o contato dos meninos com o sangue uns dos outros.

Mesmo no desenvolvido Canadá, um ator pornô (Shawn Ashmore, o Homem de Gelo de "X-Men"), apesar de alertado para o usar preservativos, ignora os conselhos. Por causa de sua vida promíscua, acaba infectado com o vírus, cujo potencial fatal, àquela altura, ainda era desconhecido do público.

No episódio africano, entram em cena um grupo de abnegadas freiras, que vêm cuidar de órfãos e doentes. Elas são a irmã Hilde (Olympia Dukakis, de "Eu e as Mulheres"), irmã Clara (Chloe Sevigny, "Zodíaco") e irmã Mary John (Sandra Oh, "Sideways -- Entre umas e outras").

Penalizadas com a precária situação dos empregados de uma plantação, elas procuram convencer o proprietário (Ian Roberts, de "Infância Roubada") a realizar melhorias. Em vez de atendê-las, ela procura seduzir irmã Clara.

A história mais forte é mesmo o segmento canadense, onde a mãe do ator, a garçonete Olive (Stockard Channing, da série "The West Wing"), procura infectar-se propositalmente para poder fazer leilão de seu seguro de saúde e obter dinheiro para o tratamento do filho.

Escritas pelo diretor Thom Fitzgerald, todas as histórias baseiam-se em fatos rigorosamente verídicos, que levaram à disseminação da Aids ao redor do mundo. (Por Neusa Barbosa, do Cineweb)