Morre homem mais velho da França, veterano da Primeira Guerra

domingo, 20 de janeiro de 2008 16:10 BRST
 

PARIS (Reuters) - Morre aos 110 o homem mais velho da França, veterano da Primeira Guerra Mundial, que recusou medalha de honra e falava vigorosamente sobre os horrores da guerra. Agora resta apenas um veterano vivo no país.

Louis de Cazenave faleceu em sua casa na região de Auvergne, centro do país, neste domingo, segundo o governo.

O presidente Nicolas Sarkozy aproveitou a ocasião para lembrar os 1,4 milhão de franceses que perderam suas vidas durante os combates entre 1914-18.

Cazenava havia sobrevivido à batalha de Somme em 1916 e à segunda batalha de Aisne um ano depois, dois dos mais sangrentos episódios da "guerra de todas as guerras".

Nascido em outubro de 1897, Cazenave se juntou à infantaria em 1916 e se aposentou em 1941.

"Alguns de meus companheiros sequer receberam um cruz de madeira", disse ele ao jornal Le Monde em 2005.

Ele descrevia o patriotismo como "uma maneira de fazer as pessoas engolirem qualquer coisa" e que a guerra era absurda e inútil. "Nada a justifica."

Ele se negou a receber um funeral estatal, afirmando que seria um desrespeito às vítimas da guerra que nunca receberam a mesma honra.

O outro veterano de guerra vivo é Lazare Ponticelli, de 110 anos.

(Reportagem de Thierry Leveque e Tim Hepher)