ESTRÉIA-Marciano muda vida de John Cusack em "Ensinando a Viver"

quarta-feira, 21 de maio de 2008 14:14 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O melodrama "Ensinando a Viver", que estréia em São Paulo nesta quinta-feira, se entrega logo de cara com esse título que ganhou no Brasil. É um daqueles filmes sobre pessoas reaprendendo a magia da vida, ao lado de personagens fora do comum.

No caso deste longa, a expressão funciona nos dois sentidos, pois os dois personagens centrais precisam descobrir a alegria da vida.

O título original, além de mais charmoso era menos óbvio. "The Martian Child", ou "O Menino Marciano", se refere ao pequeno Dennis (Bobby Coleman) que diz ter sido enviado de Marte para a Terra a fim de estudar o modo de vida terráqueo para ensinar aos seus colegas de planeta.

Morando num orfanato, ele 'vive' dentro de uma caixa, literalmente. Mas o escritor de ficção científica David (John Cusack, de "Alta Fidelidade") está sozinho depois da morte de sua mulher, e acredita que possa ensinar algumas coisas ao garoto e aprender algo com o pequeno marciano. Ele não poderia estar mais correto.

O problema de "Ensinando a Viver" ser um filme previsível vem do fato que o diretor Menno Meyjes não desviar de nenhum clichê visual ou narrativo que o gênero possa lhe proporcionar, procurando provocar lágrimas e risos nos espectadores à força.

Aos poucos, David reaprende a alegria de viver ao entrar no mundo do faz-de-conta do pequeno Dennis. O escritor chega até acreditar que a história do garoto ser marciano é verdadeira -- mas isso não o impede de tentar humanizá-lo.

A trama lembra bastante um filme de 2001 chamado "K-Pax -- O Caminho da Luz", na qual Kevin Spacey dizia ser um alienígena e abalava a vida de um psiquiatra e de sua família. "Ensinando a Viver" segue a mesma linha, sem tanto falatório pseudo-filosófico, mas cheio de boa vontade.

Nos minutos finais, "Ensinando a Viver" recorre à psicologia para explicar o comportamento do garoto -- o que não deixa de acrescentar mais um clichê comum a este tipo de história. Outro deles é Joan Cusack ("Amigas Com Dinheiro") como o alívio cômico do filme e fazendo papel de irmã de John Cusack.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)