23 de Fevereiro de 2008 / às 15:40 / em 10 anos

ESTRÉIA-"Na Natureza Selvagem" conta saga de jovem até o Alasca

SÃO PAULO (Reuters) - Em seu quarto longa como diretor, Sean Penn realiza um tributo ao espírito libertário dos anos 1960 e 1970, retratando a trajetória de um personagem verídico, Christopher McCandless, que fez escolhas radicais ao decidir largar tudo e partir rumo ao Alasca.

“Na Natureza Selvagem” estréia em São Paulo na sexta-feira e concorre em duas categorias do Oscar -- melhor ator coadjuvante (Hal Holbrook) e montagem. Causou alguma surpresa não ter sido indicado para melhor canção, na qual saiu vencedor no Globo de Ouro, com uma música de Eddie Vedder, do Pearl Jam.

O roteiro de “Na Natureza Selvagem” também é assinado por Penn e se baseia no livro homônimo de não-ficção de Jon Krakauer.

O personagem principal é Christopher McCandless (Emile Hirsch, de “Alpha Dog”), um rapaz que no início dos anos 1990 abandonou tudo, entregou à caridade todo o dinheiro guardado para custear seus estudos e caiu no mundo em direção ao Alasca, sem sequer avisar a família.

Pode-se encarar Chistopher de duas maneiras: como um egoísta arrogante, impulsivo e mimado que fez essas escolhas para agredir seus pais (interpretados por William Hurt e Marcia Gay Harden); ou como uma espécie de herói romântico.

Sean Penn procura não optar por nenhum desses dois extremos -- embora penda mais para a segunda alternativa.

Em seus escritos, como um diário, Chistopher enfatiza o que há de belo na natureza, rejeitando os bens materiais e se autodefinindo como “viajante estético”.

Adotando o pseudônimo de Alexander Supertramp, o rapaz desistiu de ter documentos, dinheiro e residência fixa. Fez de tudo para não ser encontrado por sua família, vivendo em plena liberdade, seguindo textos de escritores como Leon Tolstói, Henry David Thoreau e Jack London.

Em seu caminho, o personagem faz alguns amigos, como um casal de hippies (Catherine Keener e Brian Dierker), que simbolizam para ele figuras paternais. Também conhece um fazendeiro (Vince Vaughn), uma garota por quem se interessa (Kristen Stewart) e um viúvo solitário (Holbrook), que vê nele o neto que nunca teve.

Muitas das cenas foram rodadas nos lugares por onde Chris passou realmente, descritos no livro de Krakauer.

Depois de hesitar por dez anos, a família McCandless concordou em dar o seu aval à produção. Penn fez diversas entrevistas com a irmã de Christopher, Carine, além de encontrar pessoas que o personagem conheceu pelo caminho.

Na parte técnica do filme, a fotografia é assinada por Eric Gautier (“Diários de Motocicleta”) e enfatiza a relação do personagem com a natureza.

Por Alysson Oliveira, do Cineweb

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below