Estrangeiros viajam ao Rio para ajudar a produzir Carnaval

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008 12:47 BRST
 

Por Andrei Khalip e Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Aplicar lantejoulas em fantasias, e pagar por isso, não parece ser a diversão ideal para as férias.

Mas, para um grupo de jovens estrangeiros, a maioria britânicos, trabalhar no barracão da Mangueira para o Carnaval deste ano representa uma oportunidade de experimentar o verdadeiro sentimento da festa.

"Queria ver o lado normal do Rio, eu não queria ser simplesmente uma turista", disse à Reuters Sarah Wilton, estudante de arte de 19 anos e garçonete na cidade inglesa de Derbyshire, enquanto adornava um adereço representando a cabeça de um touro verde com chifres lilás.

A menos de duas semanas dos desfiles na Marquês de Sapucaí, os turistas voluntários pagam em média 49 dólares (cerca de 88 reais) por dia a um grupo sem fins lucrativos que organiza a vinda deles para trabalharem no abafado barracão da escola de samba, onde ajudam na confecção de fantasias.

Enquanto milhares de turistas invadem a cidade para o Carnaval, os voluntários garantem que não há melhor forma de aprender sobre a cultura e conhecer os cariocas do que trabalhando nas escolas.

"O Carnaval é algo grandioso, você ouve falar do Carnaval do Rio desde pequeno", disse Rebecca Vitkovitch, 18 anos, que também trabalha como garçonete na Inglaterra.

"Você é apenas uma pequena parte disso, mas é uma pequena parte de uma longa corrente, um longo processo, então é realmente bom estar aqui."

Sarah, que desde dezembro participa da produção do desfile da escola, acrescentou: "O que eu mais gosto é das pessoas. Elas são realmente amigáveis, são divertidas... Eu me sinto cuidada, mesmo sem entender o que eles estão dizendo."   Continuação...

 
<p>Inglesa Rebecca Vitkovitch prepara adornos para fantasias da escola de samba Mangueira, no barrac&atilde;o da equipe, na Cidade do Samba, no Rio de Janeiro. Foto tirada em 21 de janeiro de  Photo by Sergio Moraes</p>