Novo disco do Coldplay estréia em 1o lugar nos EUA

quarta-feira, 25 de junho de 2008 10:31 BRT
 

Por Dean Goodman

LOS ANGELES (Reuters) - O novo disco da banda britânica Coldplay estreou em 1o lugar na parada norte-americana, na contramão da queda de vendas que afeta outros músicos, informou a gravadora da banda na terça-feira.

"Viva La Vida or Death and All His Friends", o quarto disco lançado pelo grupo, vendeu mais de 720 mil cópias até domingo, quando completou seis dias nas lojas, segundo a Capitol Records.

O álbum anterior, "X&Y", também estreou em 1o lugar, vendendo 737 mil cópias na semana de lançamento, em junho de 2005. Mas o total de vendas de discos caiu mais de 20 por cento no período, de acordo com a empresa de contagem Nielsen SoundScan. A pirataria e a competição com os videogames são os responsáveis.

O novo disco do Coldplay também ficou no topo das paradas na Grã-Bretanha, Japão, Austrália, Canadá, França e Alemanha, disse a Capitol. A primeira música de trabalho, "Viva La Vida" é a número 1 nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha.

O bom desempenho do álbum é um alívio para o grupo EMI, que vende o disco na Grã-Bretanha. A EMI foi comprada no ano passado pela empresa de ações Terra Firma por cerca de 6,4 bilhões de dólares e, desde então, tem passado por dificuldades.

No fim das contas, os próprios empresários do Coldplay contrataram consultores e conselheiros para complementar os esforços de vendas e marketing da EMI.

De acordo com a NielsenSoundscan, o Coldplay vendeu mais de 11 milhões de álbuns nos Estados Unidos. O mais vendido no país foi "A Rush of Blood to the Head", de 2002, com 4,5 milhões de cópias. Já "X&Y", que fez o jornal New York Times classificar a banda como "a mais insuportável da década", vendeu 3,2 milhões de cópias.

 
<p>O vocalista do Coldplay, Chris Martin, no tapete vermelho do MTV Movie Awards, em Los Angeles, 1o de junho de 2008. Eles se apresentaram durante a premia&ccedil;&atilde;o. Seu novo disco, 'Viva La Vida' chegou ao topo das paradas norte-americanas. Photo by Fred Prouser</p>