Pergaminhos do mar Morto estarão disponíveis na Internet

quarta-feira, 27 de agosto de 2008 13:08 BRT
 

JERUSALÉM (Reuters) - Cientistas israelenses estão tirando fotografias digitais dos papiros do mar Morto com o propósito de que os documentos, de 2 mil anos de idade, estejam disponíveis para o público e pesquisadores na Internet.

A autoridade israelense de Antiguidades, que tem sob sua custódia os textos que lançam luz sobre a vida dos judeus e dos primeiros cristãos na época de Jesus Cristo, disse nesta quarta-feira que levará mais de dois anos para completar o projeto.

Os documentos foram encontrados em covas próximas ao mar Morto em 1947 por pastores beduínos e durante muitos anos só um reduzido número de estudiosos pôde vê-los.

O acesso, entretanto, depois foi ampliado e os documentos foram publicados em sua íntegra há sete anos.

Usando câmaras de precisão e focos que não emitem calor ou raios ultravioletas, os cientistas de Israel puderam decifrar capítulos e letras invisíveis ao olho humano.

Os rolos de papel, em sua maioria pergaminhos, são as cópias mais antigas da Bíblia em hebraico e incluem textos laicos que datam o século 3 antes de Cristo até o primeiro século depois de Cristo.

Uma equipe de especialistas tirou 4 mil fotografias de algo como 9 mil fragmentos que compõem os documentos, que chegam ao total de 900 rolos. Uma grande parte deles está em exposição permanente no Museu de Israel.

"Podemos ver os papéis com um detalhe com que não se podia ver antes", disse Simon Tanner, especialista digital do King's College de Londres, encarregado da recompilação dos dados.

Os cientistas esperam que a tecnologia avançada de imagem ajude também a preservar melhor os papéis ao detectar qualquer danificação causada por umidade e calor.

(Por Joseph Nasr)