Omara Portuondo e Bethânia cantam unidas pelas mesmas raízes

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008 10:45 BRT
 

Por Maria Pia Palermo

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Uma longa espera resultou em "Omara Portuondo e Maria Bethânia", em CD e DVD, um encontro considerado merecido pela cubana e que ainda as levará juntas a palcos de todo o Brasil e do exterior.

"Estou tão feliz de ter esta oportunidade que estava esperando desde 86, que acredito que já merecia", disse dona Omara, como é chamada por Bethânia a cantora cubana, que ficou internacionalmente famosa depois da participação no documentário "Buena Vista Social Club".

Lado a lado, elas contaram à imprensa na quarta-feira como se conheceram e como afinaram a escolha das canções reunidas no álbum, que chega às lojas nesta quinta-feira. Bethânia o definiu como "suave, mas com suingue cubano e brasileiro".

A cantora baiana contou que o ponto de partida para o repertório foi dado por Omara, que sugeriu fazer o disco baseado na música dos anos 1950 cubana e brasileira.

"Eu acho que é um disco suave. Poderíamos ter feito um disco com as canções mais badaladas cubanas e brasileiras, mas quisemos fazer um disco com nossa assinatura, como o nosso sentimento naquele encontro", afirmou Bethânia a jornalistas no Rio de Janeiro.

"Quando ela sugeriu os anos 50 eu adorei, porque eu pensei 'ela vai no bolero e eu vou na Dolores Duran, que é o nosso bolero chiquérrimo"', acrescentou.

O álbum, gravado em 2007, abre com duas cantigas de ninar. "Lacho" (composta por Facundo Rivero e Juan Pablo Miranda) é cantada por Omara, e depois vem Bethânia, com "Menino Grande" (Antonio Maria).

Algumas das músicas que interpretam juntas são "Tal Vez" (Juan Formell), "Você" (Heckel Tavares e Nair Mesquita) e "Para Cantarle a Mi Amor" (Orlando de La Rosa).   Continuação...

 
<p>Foto de divulga&ccedil;&atilde;o das cantoras Maria Beth&acirc;nia e Omara Portundo, que lan&ccedil;am esta semana CD e DVD em parceria. Photo by Divulga&ccedil;&atilde;o</p>